Filosofando: Acho que nasci do lado errado do mundo

Foto: Caio Peres



    Acho que nasci do lado errado do mundo. Talvez eu esteja do avesso, seja uma estrangeira peregrinando em terras desconhecidas. De muito pouco eu sei, só sei que não me encaixo aqui.
Acredito em valores que já se perderam. Acredito no amor que, aos poucos, o mundo tem deixado se esfriar. Acredito na liberdade, mas também acredito que liberdade é um conceito relativo e alguns acabam se tornando escravos de si mesmos.

   Eu amo a Deus sobre todas as coisas e tento, dentro das minhas próprias limitações, amar o próximo como a mim mesmo. Eu não tenho uma religião, tenho uma prova de amor, e de liberdade.  

   Descobri que é possível sentir falta de um lugar que eu nem me lembro de ter estado, mas que minha alma anseia por voltar. Descobri que sonhos podem ser realidade, mesmo que pareçam maluquices, e que os melhores sonhos são aqueles mais simples: uma aliança no dedo esquerdo, uma espera de 9 meses e a certeza de que ele sempre estará ali, por exemplo. Aliás, alianças são as coisas mais valiosas que construímos no nosso tempo aqui. Maridos e esposas, amigos, família...Muitas pessoas passam a vida perseguindo coisas e no fim descobrem, quase sempre tarde demais, que tudo o que fizeram foi como correr atrás do vento, inútil e em vão. Preço é diferente de valor. Alguns valores jamais deveriam se perder com o tempo.

   Aprendi a dançar em todo tempo, inclusive na tempestade, e alguns pingos de água nunca me fizeram mal. Percebi que a melhor forma de ver o mundo é através dos olhos de alguém que sabe contemplar a riqueza dos detalhes. E a felicidade da vida se esconde nas pequenas coisas do nosso dia, um abraço sincero, um beijo carinhoso, um elogio e um sorriso amigo. Dançar como se ninguém estivesse vendo, aproveitar um belo pôr do sol e cada detalhe perfeito de uma imensa obra de arte criada por Deus. 

    Sou um vaso em processo de molde, uma obra em construção. Perco a cabeça tão fácil quanto perco as chaves do carro. Sinto tudo ao extremo, vejo tudo ao extremo, sou 8 ou 80, geralmente 80. Me machuco fácil mesmo que ninguém tenha feito nada pra mim, e as vezes, uma pequena atitude ruim já parece que é o fim. Enfim, eu sou assim. Mas sempre que pareço estar perdendo o controle de mim, me lembro que sou sim capaz de equilibrar tudo apenas nas pontas do pés. E assim, o tudo volta ao normal.




Comentários

Postagens mais visitadas