Livros : Duologia / Black Bird A Fuga e Dead Fall A Caçada


Eae, meus Bagunceiros e Bagunceiras de Plantão! Td certo?
Faz um certo tempo que não apareço por aqui, mas o importante é que voltei!
Hoje, vou me aventurar a fazer uma resenha de dois livros, mas já aviso logo de cara que não sou nenhum expert em literatura.
Há algum tempo eu estava muito interessado no livro "Black Bird", digamos que a premissa me instigou logo de princípio, então aproveitei o black friday pra renovar minha prateleira de livros. A surpresa foi que o segundo livro "Dead Fall" chegou primeiro, ganhei da Bruna de aniversário e eu tive que esperar duas longas semanas para começar a leitura, o fato é que eu não me arrependi nenhum pouco de esperar. Vamos à resenha então:


Black Bird A Fuga
Anna Carey
V&R Editoras,2015
225 pg



Uma garota acorda nos trilhos do metrô de Los Angeles sem lembrar quem é. Há uma mochila a seus pés contendo uma troca de roupas, mil dólares em espécie, um número de telefone e a instrução “Não ligue para a polícia”. Perguntas rodopiam em sua cabeça: Quem é ela? Como chegou ali? O que ela fez? O que significa a tatuagem de um pássaro e o código FNV02198 em seu pulso?  Ela mal tem tempo para descobrir sua identidade, e logo percebe que está sendo caçada. Precisa fugir desesperadamente. Não sabe quem são eles, não sabe em quem confiar. Só há uma coisa que sabe com certeza: estão tentando matá-la.





Eu não conhecia a autora Anna Carey, mas depois destes livros ela me conquistou com sua escrita, o que me leva a curiosidade em ler suas outras obras.
Começamos portanto pela escrita, confesso que de principio eu senti uma estranheza e é normal que sinta, o livro é em segunda pessoa, não é o tipo de leitura com a qual eu estava acostumado, fui colocado em cena de uma forma que às vezes eu me sentia como o próprio protagonista da história. "Você acorda nos trilhos do metrô de Los Angeles sem lembrar quem você é". Como assim? Eu? Viu como é estranho? Isso não é um empecilho, com o passar da narrativa você se acostuma, vai por mim. 

O enredo deste thriller é muito envolvente, devorei cada página, cada capítulo, a autora soube dosar o mistério, o suspense e a ação sem ficar chato,  até mesmo as partes mais informativas que é necessária para um melhor entendimento da história não paralisou o ritmo de leitura. Tudo muito bem elaborado. Pra quem não é muito fã de romance como eu também não irá se decepcionar com esse livro, já que o romance é bem leve, não tirando o foco do que o livro verdadeiramente se trata.

Voltando à história, a nossa protagonista da qual só iremos saber o nome somente no inicio do segundo livro, é uma garota corajosa, destemida, divertida e bem escorregadia (escapa de cada uma que só por Deus),  muitas perguntas  sobre sua cabeça e a medida em que a história se desenrola você vai descobrindo juntamente com ela que existem respostas pra tudo, uma pista que leva a outra, complicações a cada passo, perseguições, assassinatos, traição e etc. O romance fica por conta de Ben, seu affair, garoto que conhece em um supermercado e a ajuda oferecendo abrigo, comida, e tudo mais.
" Os olhos dele são tão amáveis, tão dispostos a enxergar o melhor em você (...)"

Durante o YA, cada escolha errada acaba em morte e algumas atitudes me fizeram questionar a inteligência da personagem, como por exemplo a facilidade que ela tem em confiar nas pessoas, sendo que em cada capítulo aparecia alguém querendo matá-la. Mesmo sendo muito impulsiva, na prática dos problemas creio que seria diferente com qualquer tipo de pessoa, tinha horas que eu me pegava dizendo: Não acredito que ela fez isso. 

Preciso ser sincero, você não terá muitas respostas até o final do livro, ainda ficaram pontas soltas, aconselho ler os livros um após o outro, como se fossem um, eles se completam. Esse é aquele tipo de leitura empolgante que você faz em um dia, até mesmo pela quantidade de páginas, por isso a minha duvida se realmente foi necessário dois livros, votaria por um livro só de quatrocentas páginas.





Dead Fall A Caçada
Anna Carey
V&R Editoras,2015
221 pg



Há uma semana a garota acordou sobre os trilhos de Los Angeles sem se lembrar quem ela é. E descobriu que faz parte de um jogo. Mas a única coisa de que tem certeza é que estão tentando matá-la. Depois de ter sido traída por seu único amigo, ela foge para Nova York com um garoto que diz conhecê-la. Mas será que pode confiar nele? O que adianta encontrar os outros? Quem são essas pessoas? À medida que a perseguição esquenta, ela vai aos poucos recuperando a memória. Porém, seu passado não pode salvá-la, e um só movimento errado pode acabar.




Os acontecimentos deste livro fluem num estalar de dedos, tudo acontece muito rápido, sem duvidas é eletrizante. A história é retomada exatamente da onde parou, logo nas primeiras páginas nossa protagonista agora Lena, (descobrimos seu nome verdadeiro) foge para Nova York, com o intuito de escapar das perseguições. No trem encontra o garoto de suas memórias, Rafe, outro alvo. A medida que viramos as páginas percebemos que o buraco é bem mais em baixo. O cenário fica mais claro, existem outros alvos, muitos caçadores e uma organização a ser desvendada O GAA, muita coisa acontece em poucas páginas, sem rodeios, e é assim que eu gosto. 

Alguns personagens foram mais explorados, diferente do outro livro que não tive nem tempo de simpatizar com eles, gostaria de ter os conhecido melhor.

Particularmente a continuação foi melhor do que eu esperava, sendo até mesmo melhor do que o primeiro livro, a evolução da protagonista foi bem honesta sem surpresas, o final sim foi INCRÍVEL, todas as pontas soltas já mencionadas foram de alguma forma esclarecidas. Nossa autora soube dar um fim digno a história, suprindo o que foi proposto na premissa. Posso estar sendo esperançoso, no entanto acredito que desta toca ainda dava pra sair bastante coelhos, torço por uma continuação, entender os jogos na ilha, o GAA, e  conhecer os outros alvos melhor.

" Mas os mortos continuavam mortos. A vida deles também tinha um significado."

Concluindo; a narrativa não convencional, a forma como somos conduzidos e a proposta inovadora me conquistaram. 
Se você gosta de saborear os cenários e personagens esses livros talvez não te cative, digo, fora feito pra pessoas ansiosas como eu, sedentas por acontecimentos e muita ação de tirar o folego. 





Ah, um adendo importante, os direitos desses dois livros foram vendidos a produtora Lionsgate, a mesma responsável por adaptar Jogos Vorazes para o cinema. Será que em breve teremos essa história no cinema? Gostaria muito de conferir essa adaptação, só espero que não estraguem, pois gostei muito dos livros.


Torço para que tenham gostado das resenhas.
Grande Afago e até a próxima!






Comentários

  1. Noooossa, já quero esses livros! haha
    Parabéns, as resenhas estão maravilhosas, despertaram demais o meu interesse nesta duologia!
    Pelo visto é bem o estilo de livro que você não consegue largar porque é cheio de ação e nada cansativo.

    Parabéns de novo!
    E parabéns pelo blog, está lindo!!
    Beijo

    http://www.blogleituravirtual.com/

    ResponderExcluir
  2. Depois de mil anos apareço pra responder seu comentário.
    Obrigado pelo incentivo, vou tentar trazer mais resenhas por aqui.
    Eae, conseguiu ler a duologia?
    Grande Abraço! Beijãoooo!
    Ah, tbm dei uma vasta olhada no seu blog.
    Ameeeiii! Inclusive, anotei algumas sugestões de livros!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas